Skip to content

Lone Pine Koala Sanctuary | Brisbane, Australia

A semana passada tive o prazer de voltar a Brisbane, Austrália. Uma cidade catita, de inverno ameno onde os 19ºC noturnos somente obrigam àquele casaco leve para cobrir os ombros. Gosto das cidades Australianas, há sempre um saxofone, uma guitarra, ou qualquer outra forma de arte a expressar-se pelas esquinas. Também há os Bagel Bars; as lojas Sushiro, que vendem rolos de sushi prontos a morder; a cadeia Pie Face – um franchising que vende uma variedade de tartes com um smile desenhado no topo. Há também os TimTam, os melhores biscoitos do mundo para beber com café e o famoso Vegemite – a coisa mais intragável que alguma vez provei. Adianto um pedido de desculpas por qualquer suscetibilidade que possa ter ferido, mas não encontro outra palavra para descrever o creme para barrar mais famoso do mundo, a seguir à Nutella.

Aussie stuffAcima de tudo, a minha passagem por Brisbane ficou marcada pela visita ao Santuário de Coalas Lone Pine, um parque de preservação animal, fundado em 1927, onde se encontra uma variedade notável, tanto amorosa como viscosa, de espécimes Australianos, bichos que pura e simplesmente desconhecia que existiam – toda uma Neo Arca de Noé versão “aussie.” É também o maior e mais antigo santuário de coalas do mundo. Aconselho vivamente uma visita, especialmente para quem nunca teve oportunidade de conviver com estes animais adoráveis. Ficam os momentos mais marcantes.

Pegar num Coala
É uma experiência breve, porque não deixam o bicho muito tempo no nosso colo, mas é o bastante para nos apaixonarmos por este animal de ternura pachorrenta. É macio, não tresanda o melhor dos aromas, mas isso passa despercebido no momento em que ele se aconchega nas nossas mãos e se agarra com toda a convicção às zonas de maior relevo da nossa zona peitoral.. uns atrevidos irrestíveis!

Koala Moment
Conviver com Cangurus
O Santuário Lone Pine tem uma área vasta, aberta ao público, onde se encontram os Cangurus. Como estão habituados ao convívio humano são dóceis, podemos tocar-lhes e passar o resto da tarde a acariciar o seu pelo macio. O quebra-gelo é mais fácil se trouxermos comida, a loja do parque vende uns saquinhos próprios para o efeito. Simpatizei com este exemplar preguiçoso que se derreteu com as festinhas e lá me deixou sacar umas selfies. Também se observa um vasto leque de comportamentos do quotidiano Canguru..

Kangaroo Selfie CompilationKangoos_LPKoalaSanctuaryConhecer novas espécies
Aqui, também se trava conhecimento com outras espécies autóctones da Austrália. Destaque para o Diabo-da-Tasmânia, o maior carnívoro marsupial no mundo, exclusivo da Tasmânia. São conhecidos por limpadores das florestas: comem as suas presas quase na totalidade, incluindo carne já apodrecida. No entanto, estão em vias de extinção devido ao “cancro facial do diabo-da-tasmânia”, que se caracteriza pelo aparecimento de tumores cancerígenos que se espalham por toda a face.

Tasmanian Devil CompilationApresento também o Wombat, outro marsupial australiano muito ternurento cuja bolsa se localiza nas costas para que possa manter as suas crias limpas e seguras enquanto escava as tocas. Adora dormir de barriga para cima. A comédia, não?

Wombats at Lone Pine Koala SanctuaryPor último, o Emu, a segunda maior ave do mundo, uma avestruz, versão aussie. Esta simpática ave alimenta-se à base de insetos, frutas, sementes, folhas e gramíneas. Embora ponha 6 a 12 ovos por ano, o papel de mãe não é o seu forte. Depois de colocar os ovos, toda a responsabilidade passa para o macho, que choca e cuida das crias.

Emu Compilation

Ficaram com o bichinho de ir à Austrália? Que animais gostaram mais?

 

Maria Bonifácio Lopes

Be First to Comment

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: